Conectado com

Empresas

Ceva Saúde Animal celebra primeiro aniversário do Ceva Wildlife Research Fund com projetos ambiciosos

Publicado

em

Foto e texto: Assessoria

O Ceva Wildlife Research Fund (o Fundo Ceva de Pesquisa da Vida Selvagem) iniciado pela multinacional para financiar projetos de pesquisa visando proteger a saúde de espécies selvagens está celebrando seu primeiro aniversário. Neste período, a iniciativa já contribuiu para o financiamento de cinco projetos destinados a preservar a saúde de espécies selvagens ameaçadas.

 

Um fundo de pesquisa único garantindo a preservação da vida selvagem

A preservação das espécies selvagens ainda é um desafio. Desta forma, o Ceva Wildlife Research Fund tem como objetivo oferecer soluções concretas para as ameaças enfrentadas nesta área visando fomentar a proteção da saúde da vida silvestre.

Os esforços do fundo estão ancorados em três pilares: preservar a biodiversidade, combater doenças zoonóticas, que predominantemente têm origem em espécies selvagens, e facilitar interações entre a vida selvagem, animais da fazenda e humanos para preservar a diversidade do nosso planeta.

 

Protegendo os gansos-patola do norte dizimados pela gripe aviária altamente patogênica em colaboração com o CNRS

Um dos projetos financiados pelo fundo focou na preservação dos Gansos-Patola (Northern Gannets). Em 2021, a única colônia da espécie na França contava com mais de 20.000 casais reprodutores. Infelizmente, em 2022, a colônia sofreu um surto de gripe aviária (IA), que resultou no óbito de metade das aves.

Para esse desafio, foi feita uma parceria com o Centro de Ecologia Funcional e Evolutiva francês (CNRS, Université Montpellier, EPHE, IRD) para estudar os processos de transmissão dos vírus IA tanto dentro, quanto entre as colônias, bem como o impacto sobre as populações.

Os fundos concedidos apoiarão o programa científico para coletar dados precisos sobre o movimento dos Gansos-Patola, por meio do rastreamento por GPS das aves e da análise de amostras biológicas coletadas no campo. As tags rastrearão as aves por aproximadamente três meses após a implantação, que ocorrerá ao longo de duas temporadas de reprodução. Testes sorológicos facilitarão o rastreamento do histórico de exposição ao vírus IA entre os indivíduos.

“O apoio do Ceva Wildlife Research Fund nos permitirá adquirir informações importantes para a conservação de espécies, como os gansos-patola que tiveram suas populações afetadas pela Influenza Aviária. Em particular, investigaremos os movimentos dos indivíduos e seus históricos de exposição ao vírus, determinando a proporção que adquiriu anticorpos específicos. Tais informações são necessárias para documentar e prever o efeito da doença nas populações selvagens”, comenta o Dr. Thierry Boulinier, Pesquisador Sênior do CNRS, CEFE.

 

Contribuindo para o entendimento dos pangolins para garantir sua sobrevivência.

O Ceva Wildlife Research Fund também apoia um projeto de doutorado pioneiro em colaboração com o Grupo de Trabalho Africano sobre Pangolins (APWG). Este mamífero continua sendo um mistério. Apesar de sua aparência fascinante, os hábitos, comportamentos e necessidades do pangolim ainda são pouco compreendidos.

Essa falta de conhecimento dificulta os esforços de conservação e o desenvolvimento de estratégias eficazes de preservação da espécie. Quando as organizações conseguem resgatá-los dos caçadores ilegais, muitas vezes eles não sobrevivem à reintrodução à natureza devido ao conhecimento ainda insuficiente sobre esse animal.

Desta forma, essas pesquisas apresentam uma oportunidade única para descobrir as necessidades da espécie e garantir sua sobrevivência, particularmente facilitando a reintrodução bem-sucedida a seu habitat.

Ao fornecer apoio a esta iniciativa, o Ceva Wildlife Research Fund reafirma seu compromisso com a preservação de espécies ameaçadas e com o avanço da pesquisa sobre a vida selvagem.

“Estou particularmente orgulhoso de celebrar este primeiro aniversário do fundo ao lado daqueles que têm contribuído para esta aventura, possibilitando a realização de projetos ambiciosos dedicados à preservação e à saúde dos animais selvagens. O ano de 2024 também promete ser muito emocionante. Atualmente, estamos explorando novos projetos para potencial financiamento. No entanto, ainda há muito trabalho pela frente. Por isso, ficaríamos encantados em receber novos parceiros para se juntar a nós em nossa jornada para contribuir para o avanço de programas de pesquisa aplicada dedicados à saúde da vida selvagem”, afirmou o Dr. Marc Prikazsky, Presidente do Fundo de Pesquisa em Vida Selvagem da Ceva.

Encontre mais informações sobre o Fundo de Pesquisa em Vida Selvagem da Ceva e seus programas clicando aqui

Fonte: Assessoria

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.