Conectado com

Notícias

Com o alerta vermelho do Inmet, como proteger os pets em meio à onda de calor?

Com cães e gatos sendo particularmente vulneráveis ao calor excessivo, é imprescindível adotar medidas preventivas para garantir seu bem-estar

Publicado

em

Foto: Pexels

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou nesta quinta-feira (14) um alerta vermelho para onda de calor em uma vasta região que abrange áreas de cinco estados brasileiros. Porções do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul estão em situação considerada de grande perigo pelo órgão desde esta quinta às 14h até as 18h de sábado (16). Cães e gatos são particularmente vulneráveis ao calor excessivo, e é importante adotar medidas preventivas para garantir seu bem-estar durante os dias mais quentes. Eles não transpiram como os humanos e, portanto, têm mais dificuldade em regular a temperatura corporal. Isso os torna propensos a sofrerem de exaustão por calor, desidratação e até mesmo intermação (quadro de aumento intenso de temperatura corpórea acompanhado de uma reação inflamatória do organismo). A Dra. Karin Botteon, veterinária e gerente técnica da Boehringer Ingelheim, orienta sobre cuidados com os bichinhos durante as épocas de grande calor:

Quais cuidados tomar na hora de passear

Durante os dias quentes, é essencial escolher os horários mais frescos do dia para passear com seu pet, evitando as horas de pico de calor. “O asfalto pode ficar extremamente quente e queimar as patinhas sensíveis, então é recomendável testar a temperatura da superfície com a palma da mão antes de sair. Além disso, certifique-se de que seu pet tenha água fresca disponível durante toda a caminhada”, ressalta a veterinária.

Medidas que podem ser tomadas dentro de casa

Dentro de casa, há várias medidas que podem ajudar seu pet a se manter fresco e confortável. Certifique-se de que haja áreas sombreadas para eles descansarem e considere ligar um ventilador ou ar-condicionado para ajudar a baixar a temperatura ambiente. Para quem não tem ventilador ou ar-condicionado, a Dra. Sugere outra opção: “colocar toalhas úmidas nos locais onde seu pet costuma descansar também pode funcionar para ajudar a refrescar o ambiente”.

As diferenças de focinho e sua importância

É importante estar ciente das diferenças de focinho entre as raças de cães e gatos, pois isso pode impactar significativamente sua capacidade de regular a temperatura corporal. Animais com focinhos curtos, como buldogues e pugs, têm maior dificuldade em respirar eficientemente em condições de calor, pois o ar quente não é resfriado adequadamente antes de chegar aos pulmões. Portanto, é crucial estar atento a sinais de superaquecimento nesses animais e tomar medidas preventivas extras para garantir seu conforto.

“Em caso de sintomas como ofegância excessiva, impaciência e fraqueza, procure um médico veterinário. Esteja atento aos sinais de superaquecimento e sempre priorize o conforto e o bem-estar de seu pet”, destaca também a Dra. Karin. Com a devida precaução e cuidado, é possível garantir que nossos amigos peludos permaneçam seguros e saudáveis mesmo durante os dias mais quentes do ano.

Fonte: Assessoria Boehringer Ingelheim

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.