Conectado com

Notícias

Cães idosos: como se preparar para cuidar dos animais nesta fase

Publicado

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

Menos energia, sonecas extras, mas o mesmo carinho de sempre! O envelhecimento faz parte da trajetória dos pets, que assim como os humanos, são impactados pela passagem do tempo.

Com o passar dos anos é perceptível a diminuição de energia para brincar, maior necessidade de descanso e pausas nos passeios. Nesta fase, a saúde dos animais também precisa de atenção redobrada. Os cães podem desenvolver deficiências nas funções locomotoras, cardiorrespiratórias, renais e urinárias. Além disso, o sistema imunológico fica mais fragilizado, tornando o pet mais suscetível a infecções. Desta forma, os tutores precisam se preparar para cuidar dos cães idosos.

“Preparar-se para cuidar de um pet idoso envolve uma combinação de consciência, paciência e comprometimento. Antes de tudo, é importante educar-se sobre os desafios e necessidades específicas que os pets enfrentam à medida que envelhecem. Além disso, é fundamental criar um ambiente seguro e confortável para o animal, considerando ajustes na casa e na rotina. Estabelecer uma relação próxima com um veterinário de confiança também é essencial, para realizar exames regulares e desenvolver um plano de cuidados personalizado. Acima de tudo, estar preparado para oferecer amor, atenção e suporte emocional ao pet durante essa fase da vida é fundamental para garantir que eles desfrutem de seus anos dourados com saúde e bem-estar”, detalha Marina Tiba, médica veterinária gerente de produto da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal.

 

Para auxiliar nos cuidados com os cães idosos, a profissional listou onze dicas para ajudar os tutores. Confira:

1– Cuidados com a alimentação: As necessidades nutricionais dos cães mudam a cada faixa etária. Por isso, é importante que o animal tenha uma alimentação balanceada que garanta acesso aos nutrientes necessários. O indicado é sempre consultar o médico veterinário para que o profissional possa traçar um plano alimentar personalizado que atenderá as demandas específicas do cão.

2 – Atenção com a higiene: A pele dos animais tende a ficar mais sensível, por isso é indicado a utilização de produtos específicos. Além disso, é preciso atentar-se a higiene bucal, fazendo a limpeza diária da área evita-se o acúmulo de tártaro e a proliferação de bactérias, que podem causar diversos problemas nos dentes e dificultar a mastigação. Outra região foco são as orelhas. Os quadros de otite, por exemplo, são estimulados, muitas vezes, pelo acúmulo de cera nos ouvidos, para evitar o problema é preciso limpar a região periodicamente.

3- Monitore o peso do cão:  É preciso manter um olhar atento sobre o peso do cão. O excesso de peso pode agravar problemas articulares e cardíacos, enquanto a perda de peso não intencional pode indicar problemas de saúde subjacentes. Desta forma, é preciso ajustar a dieta e o nível de atividade conforme necessário para manter um peso saudável.

5 – Mantenha uma rotina de exercício: Caminhadas curtas, em horários com temperatura amena, como início da manhã e fim da tarde, assim como brincadeiras dentro de casa são medidas indicadas para manter o cão ativo fisicamente e mentalmente.

6-Cuide da Saúde Mental: Assim como os humanos, os cães idosos podem experimentar declínios cognitivos. É preciso estar atento a sinais de desorientação, esquecimento ou alterações de comportamento. Caso perceba qualquer mudança, o tutor deve buscar orientação do médico veterinário

7-Ambiente Seguro e Confortável: Ajustes simples podem tornar o lar mais acessível e confortável para os cães idosos. Tapetes antiderrapantes, rampas para subir e descer de móveis e camas ortopédicas podem ajudar a prevenir quedas e proporcionar conforto extra.

8 – Cochilos extras: O cão idoso pode dormir mais e passar mais tempo deitado. É muito provável que ele fique por longos períodos em repouso na caminha ou em outro ambiente onde se sente confortável. É preciso compreender e respeitar essa mudança comportamental do animal.

9 – Cuidado com as mudanças de temperatura: Os cães são sensíveis as mudanças de temperatura. Por isso, em dias muito quentes, é necessário manter o pet sempre em locais arejados, longe de correntes de vento e sem contato direto com o sol. Em dias frios, mantenha-o aquecido. Dessa forma é possível garantir o conforto do cão.

10- Atenção aos Sinais de Dor: Cães idosos podem ser mestres em esconder sinais de dor. Fique atento a mudanças sutis no comportamento, como mancar, dificuldade para levantar-se ou deitar-se, relutância em subir escadas ou evitar atividades que antes adoravam. Se notar algum desses sinais, consulte o veterinário para avaliação e tratamento adequados.

11- Uso do odor materno canino no ambiente para bem-estar e conforto: Existe no mercado, um produto que é a cópia sintética do odor materno canino e quando presente no ambiente, é capaz de transmitir ao cão a sensação de bem-estar, conforto e tranquilidade. Esse produto tem na versão de difusor ou spray e pode ser utilizado no ambiente para melhorar o bem-estar do pet.

Fonte: Ceva Saúde Animal

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.