Conectado com

Notícias

Projeções do primeiro trimestre de 2024 indicam um ano positivo para o Setor Pet

Publicado

em

Foto : Shutterstock

Projeções indicam que o mercado pet brasileiro chegará a um faturamento de R$ 76,3 bilhões em 2024, de acordo com os dados do Instituto Pet Brasil.

No levantamento de janeiro a março, o faturamento do segmento de Pet Food, que é a venda de alimentos industrializados para animais de estimação, foi de R$ 41,7 bilhões (54,7% do total do setor). Esse valor corresponde a mais da metade do mercado. Em 2023, o seu percentual de crescimento ficou atrás dos segmentos de Pet Vet, et Care, Serviços Veterinários e de Vendas Totais de Animais. Apesar de sua robustez, o Pet Food é enquadrado com item supérfluo e sua tributação é semelhante àquela das bebidas alcoólicas e cigarros.

Com relação aos pet shops, os pequenos e médios são os estabelecimentos que concentram a maior parte da movimentação, representando 48,7% do faturamento, ou R$ 37,2 bilhões. Em seguida estão as clínicas e hospitais veterinários, com 18% ou R$ 13,7 bilhões. Em terceiro lugar estão os pet shops considerados mega store, com 9,4% do faturamento, ou R$ 7,1 bilhões.

Dentro do segmento de e-commerce, o varejo especializado também é o segmento que mais vende. Os pet shops virtuais representam 40,6% do faturamento das vendas online, ou R$ 2,4 bilhões, seguidos pelas lojas virtuais das mega stores (26,8% ou R$ 1,6 bilhão) e lojas virtuais de pequenos e médios pet shops, com 21,5%, o equivalente a R$ 1,3 bilhão.

“Os brasileiros aprovaram a comodidade da compra online e, hoje, o hábito é algo corriqueiro, principalmente nos grandes centros. Os consumidores também aproveitam esses canais para promoções exclusivas e facilidades como assinaturas de produtos. Assim, quando o pet food está acabando, ele sabe que já existe uma entrega agendada”, explica Caio Villela, Presidente do IPB.

Faturamento por segmento | O pet food continua a ser o produto mais vendido no mercado pet brasileiro. Ele representa 54,7% do faturamento, seguido pela venda de animais de estimação (11%), produtos veterinários (10,5%), serviços veterinários (9,9%), serviços gerais (8,5%) e pet care (5,8%).

“Destacamos que os dois segmentos com maior alta entre 2023 e 2024 foram os de produtos veterinários e de serviços veterinários, com 16,1% e 14,2% respectivamente. Isso mostra que as famílias estão cuidando cada vez mais e melhor de seus pets”, comenta Villela.

Indústria | Os segmentos de indústria de produtos para animais de estimação devem encerrar 2024 com um crescimento médio de 12,8% em relação a 2023. O faturamento do Pet Food, Pet Care e Pet Vet devem superar os R$ 54 bilhões e representam cerca de 70% de todo o mercado.

“Sem grandes variações no preço das commodities, mantém-se o crescimento sólido dos mercados pet vet e pet care, além da demanda constante da cadeia de varejo em relação ao pet food. Isso demonstra que os consumidores têm procurado os produtos da indústria pet, e se preocupam em oferecer além do alimento completo de qualidade, produtos que garantem higiene, saúde e bem-estar para seus pets”, comenta José Edson Galvão de França, presidente-executivo da Abinpet.

“Apesar dos números robustos, continuamos a chamar atenção para a alta carga tributária do setor. No caso do pet food, por exemplo, a cada R$ 1 gasto pelos consumidores, R$ 0,50 são impostos. Isso acontece no Brasil de maneira discrepante aos outros grandes mercados do mundo. Nos Estados Unidos, líder de market share, os impostos não chegam a 7% do preço final. Na Europa, a média é 18%”, comenta Galvão de França.

 

Veja a comparação dos tributos pet no Brasil em relação a outros países do mundo:

  • Brasil – carga tributária: 50% do preço final
  • Itália – carga tributária: 22% do preço final
  • Reino Unido – carga tributária: 20% do preço final
  • China – carga tributária: 17% do preço final
  • Alemanha – carga tributária: 7% do preço final
  • Estados Unidos – carga tributária: 6,6% do preço final

A Abinpet também divulga a produção de Pet Food e ao longo do ano de 2024 a perspectiva é de um crescimento de 3,2%, superando assim as 4,2 milhões de toneladas de alimentos pet em 2024.

Mercado mundial | O mercado pet mundial cresceu 7,4% em 2023 em relação a 2022, chegando a US$ 180,8 bilhões. O Brasil atualmente se consolida no terceiro lugar no quesito faturamento, representando 5,54% dos US$ 180 bilhões, atrás somente de Estados Unidos (44,9%) e China (8,45%). Atrás de Brasil estão Reino Unido (4,11%); Alemanha (3,87%); Canadá (3,75%), França (3,6%), Japão (3,37%), Rússia (2,48%) e Itália (2,48%).

 

Fonte: Assessoria Instituto Pet

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.