Conectado com

Cães

Proteção eficaz contra leishmaniose é destaque da Vetoquinol em simpósio internacional, em Belo Horizonte

A companhia francesa destacará sua contribuição na prevenção da leishmaniose em cães por meio do uso de uma coleira de alta tecnologia e com ação repelente e inseticida contra o mosquito-palha – inseto hematófago vetor da doença.

Publicado

em

Foto e texto: Assessoria

A Vetoquinol Saúde Animal – oitava maior indústria de saúde animal do mundo – participa do 24º Simpósio Internacional de Leishmaniose Visceral Canina (LVC), promovido pelo Brasileish (grupo de estudos sobre leishmaniose animal), nos dias 25 e 26 de novembro, em Belo Horizonte (MG). A companhia francesa destacará sua contribuição na prevenção da leishmaniose em cães por meio do uso de uma coleira de alta tecnologia e com ação repelente e inseticida contra o mosquito-palha – inseto hematófago vetor da doença.

“Ter um produto que contribui na prevenção da leishmaniose está atrelado à missão da Vetoquinol: promover saúde e qualidade de vida tanto aos animais quanto à população, em um conceito de saúde única – já que se trata de uma zoonose grave que acomete os cães e é transmitida aos seres humanos. Somente em Minas Gerais, foram mais de 8.200 casos humanos de leishmaniose visceral desde 2000”, informa o médico-veterinário Jaime Dias, gerente técnico e de marketing para animais de companhia da Vetoquinol.

Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente (SVSA), órgão do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 72.292 casos de leishmaniose visceral em humanos nos últimos 23 anos. A doença é considerada endêmica, trazendo prejuízos à saúde em todo o território brasileiro.

Com a missão de colaborar com a redução dos casos de leishmaniose, a Vetoquinol oferece ao mercado Frontmax®, única coleira do mercado composta por 3 princípios ativos – fipronil, piriproxifeno e permetrina, que são liberados de forma gradativa e contínua, protegendo os cães e reduzindo a chance de picada do mosquito-palha durante oito meses ininterruptos, ressalta Dias, que possui residência com foco em doenças infecciosas dos animais domésticos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Além de reduzir a ação do mosquito, a coleira também protege os cães contra infestações de pulgas e carrapatos. Os princípios ativos de Frontmax® Coleira se ligam a gordura da pele e pêlo do animal, proporcionando excelentes resultados contra os mosquitos transmissores da leishmaniose, pulgas e carrapatos, por um período de 240 dias.

 

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.